2017/18: Clima favorece canaviais e moagem de cana deve avançar para 589 mi ton no Centro-Sul

Ainda assim, cálculos da INTL FCStone apontam para um resultado inferior ao obtido no ciclo anterior, 2016/17

 

A consultoria INTL FCStone projeta que entre os dias 16 de janeiro e 31 de março as usinas do Centro-Sul processem cerca de 5,5 milhões de toneladas, chegando ao total de 589 milhões de toneladas métricas em toda a safra 2017/18 de cana-de-açúcar na região (contra as 584,3 milhões de toneladas projetadas anteriormente pelo grupo). Ainda assim, esse volume seria 3,0% menor que a moagem durante a safra 2016/17.

+ Leia também: 2017/18: Apesar das preocupações com o clima, desenvolvimento de grãos no Brasil deve consolidar safra cheia

“A precipitação acumulada sobre os canaviais do Centro-Sul brasileiro durante a temporada chuvosa na região, que compreende os meses entre outubro e março, têm se mostrado bastante favoráveis ao desenvolvimento vegetativo das plantas”, escreveu a INTL FCStone, em relatório.
Essa condição, por outro lado, levou a um menor processamento de cana-de-açúcar nessa época, com destaque à primeira quinzena de janeiro, cuja moagem foi apenas 166 mil toneladas e o número de usinas ativas, apenas 6, de acordo com informações da União da Indústria de Cana-de-Açúcar (UNICA).
O cenário de preços elevados e demanda aquecida pelo etanol hidratado — reflexo da entressafra canavieira no Centro-Sul somada à recente valorização da cotação do barril de petróleo no mercado internacional, que aumentou o preço da gasolina no Brasil — pode levar alguns produtores a adiantar o início da próxima colheita, o que seria contabilizado ainda como safra 2017/18, caso ocorra antes do dia 1º de abril.
Ainda segundo cálculos da consultoria, o Açúcar Total Recuperável (ATR) médio acumulado na safra até metade de janeiro ficou em 137,3 Kg ATR/tonelada de cana, 2,6% acima da mesma época da safra anterior e o maior valor para este indicativo agroindustrial desde 2011/12. Assim, “mesmo com uma moagem menor que no ciclo 2016/17, tanto a produção de açúcar quanto a de etanol mostra avanço no comparativo ano-a-ano”, resume a INTL FCStone.

Fonte: Assessoria de Imprensa INTL FCStone / Carolina.Barboza@intlfcstone.com

Carolina Barboza
Carolina Barboza é jornalista na Consultoria em Futuros e Commodities INTL FCStone.